Codevasf garante execução de projetos no Maranhão

O coordenador da bancada do Maranhão no Congresso Nacional e deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB-MA), esteve reunido, nesta manhã (28), em Brasília (DF), com o presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Avelino Neiva. Na pauta, a execução da emenda impositiva de 2017 e a continuidade do programa de esgotamento sanitário em todo o estado.

O parlamentar relembrou que a bancada destinou R$ 90 milhões em emenda impositiva para ser executado em 2018. “O montante deverá ser investido ações voltadas ao fortalecimento da capacidade produtiva dos municípios, como a construção e recuperação de estradas, implantação e distribuição rural de energia, e aquisição de equipamentos agrícolas, em diversos municípios do Maranhão”, explicou.

Durante o encontro, o deputado federal solicitou a Avelino a implantação de sistemas de esgotamento sanitário. “O tratamento do esgoto é uma prioridade em qualquer lugar, e queremos que a população seja atendida e tenha cada vez mais qualidade de vida”, defendeu Rubens Júnior.

As ações da Codevasf na área de implantação de sistemas de esgotamento sanitário objetivam a recuperação e a conservação hidroambiental das bacias hidrográficas em sua área de atuação. A implantação dos sistemas atende populações que vivem em áreas carentes de saneamento básico, nas zonas urbanas de municípios que pertencem às bacias dos rios São Francisco e Parnaíba com até 50 mil habitantes.

Além dos benefícios para a saúde pública, cada R$ 1 milhão investido em obras de esgoto sanitário gera 30 empregos diretos e 20 indiretos, como também empregos permanentes quando o sistema entra na fase de operação.

Fábio Macedo propõe audiência pública para tratar do Gás Natural no Maranhão

O vice-presidente da Assembleia Legislativa, Fábio Macedo, se reuniu na terça-feira (27), com coordenador de ações  estratégicas da Fiema, Roberto Bastos e o presidente do Sindicato das Oficinas Mecânicas, Antônio Rosa para falar sobre a produção do Gás Natural no Maranhão e seu possível uso pela população como combustível automotivo e gás de cozinha.

Na reunião ficou definida a realização de uma audiência pública para discutir  a viabilidade do projeto para que parte da produção seja disponibilizada para benefício da população.  Serão convocados os representantes dos Sindicatos de Taxistas, Ubers, Vans, Governo do Estado, Gasmar e a empresa Eneva, que controla o Complexo de Produção nos municípios de Lima Campos, Capinzal do Norte e Santo Antônio dos Lopes.

Além da participação da Fiema e da população em geral.

“Levantamos essa bandeira porque acreditamos que as riquezas produzidas aqui, tenham que beneficiar o nosso povo. Não é justo que todo Gás Natural seja utilizado somente para abastecer a Termoelétrica, cuja energia produzida não é nem utilizada pela nossa população”, disse Macedo.

O parlamentar ainda lembrou que o Gás Natural é uma opção mais barata de combustível e também é menos poluente. Além disso, o seu uso poderá representar economia para população, visto os preços altos da gasolina e gás de cozinha.

Da assessoria

Fórum Maranhense da Mulher Empreendedora será realizado em São Luís

O Instituto Cidade Solidária (ICS) e o Conselho da Mulher Empresária da Associação Comercial do Maranhão (ACM-MA), vão realizar no dia 07 de março o “Fórum Maranhense da Mulher Empreendedora”, que vai acontecer durante a Plenária da instituição, a partir das 19h. O fórum faz parte das atividades de comemorações ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 08 de março. Ele foi idealizado com o objetivo de fortalecer o empreendedorismo feminino no Maranhão, além de reconhecer, divulgar, incentivar e proporcionar oportunidades para as mulheres que empreendem ou desejam empreender.

 

O evento vai receber duas palestras apresentadas por personalidades importantes do empreendedorismo feminino estadual e nacional: Neurilene Cruz, empresária, indígena da etnia Kambeba, mora na Comunidade Três Unidos, localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro, vai falar sobre “Empreendedorismo Feminino na Floresta Amazônica e a experiência do Restaurante Sumimi”. O restaurante é localizado na área de proteção ambiental do Rio Negro e é apoiado pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS).

A empresária Kamila Paixão, coordenadora geral do Movimento Empreender Mulher (MEM-MA), vai apresentar um case do “Villa Reale Buffet- Uma Trajetória Empreendedora”.

 

A Associação Comercial do Maranhão fica localizada na Praça Benedito Leite, 264- Centro. O fórum é aberto ao público e tem patrocínio do Banco do Nordeste e LATAM Airlines Brasil, parceira da Fundação Amazonas Sustentável. A TV Cidade (Record) é apoiadora do evento.

Vice-presidente da Assembleia Legislativa defende uso do gás natural nos automóveis do Maranhão

O vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Fábio Macedo, solicitou, através de uma indicação, que parte da produção de gás natural seja disponibilizada na rede de distribuição de combustíveis para ser utilizado por veículos automotores que trafegam no Estado. De acordo com o parlamentar, a intervenção deve ser feita entre o Palácio dos Leões e a Eneva, empresa que controla o Complexo de Produção de Gás Parnaíba nos municípios de Lima Campos, Capinzal do Norte e Santo Antônio dos Lopes

“Não é justo que os maranhenses não possam ter acesso ao gás natural produzido aqui. Além de ser uma opção mais barata de combustível, o gás também não é poluente. Isso seria um ganho para a população que poderia economizar, já que a gasolina a cada dia aumenta mais de preço e muitas pessoas utilizam seus automóveis para o sustento familiar”, disse o deputado.

Fábio Macedo ainda lembrou que o Brasil é um dos grandes produtores mundiais de Gás Natural e o Maranhão precisa disponibilizar mais essa opção para a população, seguindo exemplos dos outros 17 estados que utilizam o gás  como: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Espírito Santo, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Alagoas, Sergipe, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Amazonas e Goiás.

CD do Grupo Mateus vai gerar 2 mil empregos diretos no Parque Empresarial da Capital

Com o apoio do Governo do Estado, o Grupo Mateus inaugurou nesta sexta-feira (26) a primeira das quatro etapas do seu Centro de Distribuição, em São Luís, que vai gerar mais de 2 mil empregos diretos. O empreendimento é o primeiro do Parque Empresarial da capital, às margens da BR-135, um complexo que vem sendo preparado pela administração estadual para abrigar dezenas de negócios. O Governo do Maranhão concede incentivos para atrair as empresas e gerar o máximo possível de empregos.

Ilson Mateus e Flávio Dino no novo Centro de Distribuição do Grupo Mateus. (Foto: Karlos Geromy)

Cerca de 220 colaboradores diretos já atuam no Centro de Distribuição, onde também se concentram 75 prestadores de serviço e mais de 200 operários contratados para a construção. Ou seja, essa fase inicial gerou cerca de 500 empregos diretos.

“Aqui temos o resultado de uma política de desenvolvimento bem ativa de nosso governo, apoiando o setor privado para viabilizar a geração de empregos. Temos uma lei [que concede benefícios] que vale para todo o segmento. Todos os que quiserem empreender nesse setor têm uma política tributária clara, transparente e publicada em lei, garantindo isonomia”, disse o governador Flávio Dino, que participou da inauguração.

Próximo aos principais terminais de carga e localizado no km 12 da rodovia BR-135, o centro tem por enquanto 20 mil metros quadrados de área construída. Até o fim do ano, serão mais 20 mil metros quadrados. No total, estão sendo investidos R$ 220 milhões. A logística do Grupo Mateus ficará concentrada nesse centro.

Quando concluídas as quatro etapas, o Centro de Distribuição será o maior do Nordeste, tanto em tamanho, quanto em capacidade de armazenagem.

“Isso aqui marca a história da empresa. Daqui para frente, são mais três etapas onde a gente quer ter qualidade e padrão para chegar a todos os municípios do Maranhão com toda a parte refrigerada e linha seca em no máximo 36 horas”, afirmou Ilson Mateus, presidente do Grupo Mateus.

Com o apoio do Governo do Estado, Grupo Mateus inaugura Centro de Distribuição, em São Luís. (Foto: Karlos Geromy)

Estímulo para os produtores

Para Flávio Dino, “esta primeira fase já está mostrando a virtude dessa parceria do setor público e do privado, com cada um fazendo sua parte. A junção dessas duas vertentes é o que garante um Maranhão melhor para todos nós”.

Ele também lembrou que “para os produtores do Maranhão, é um grande estímulo porque o Mateus se consolida como um grande comprador”, referindo-se aos benefícios como um todo para a economia do Estado.

Parque Empresarial

O Governo do Maranhão está investindo R$ 8 milhões na estruturação da área de 220 hectares do Parque Empresarial de São Luís.

“A gente já vê a realidade dessa expansão industrial nesta região. É importante para a cadeia produtiva de distribuição”, disse o secretário de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo, sobre a inauguração desta sexta-feira.

Com o apoio do Governo do Estado, Grupo Mateus inaugura a primeira das quatro etapas do seu Centro de Distribuição, em São Luís. (Foto: Karlos Geromy)

Usina de pelotização da Vale, em São Luís, vai voltar a produzir em junho

Está previsto para o mês de junho a volta da operação da usina de pelotização da Vale em São Luís. Desativada desde de 08 de outubro de 2012, quando a empresa anunciou o fechamento da unidade do Itaqui-Bacanga. Na época a Vale justificou a paralisação em função da retração da demanda por pelotas no mercado internacional. A crise se estendeu também ás plantas das usinas de Tubarão I e II, em Vitória(ES).

Usina de pelotização do Itaqui-Bacanga

A planta de São Luís foi inaugurada em março de 2002, resultado de um investimento de US$ 408 milhões, e projetada com capacidade anual para produzir 6 milhões de toneladas de pelotas de redução direta. No entanto, em 2007, a unidade atingiu seu pico máximo de produção, alcançando 7,05 milhões de toneladas.

Antes de suspender as operações, em 2012, a unidade já havia registrado outras duas paralisações, como efeito de crises econômicas. Em 2006, a usina passou quatro meses sem operar e teve como impacto a queda de 1,2 milhão de toneladas na produção de pelotas.

Depois, como consequência da crise nos Estados Unidos, em 2008, a Vale programou, no início de 2009, uma paralisação de apenas 12 dias, mas que se estendeu por mais de um ano, em decorrência do agravamento da conjuntura econômica americana. Para evitar demissões, a Vale deu recesso aos empregados.

O primeiro embarque de pelotas produzido pela usina para o mercado internacional ocorreu dia 24 setembro de 2002, quando foram embarcadas 60 mil toneladas no navio Flecha, procedente de Malta, no píer 1 do Terminal Marítimo de Ponta da Madeira. A carga teve como destino o grupo siderúrgico indiano CIL Caribbean Ispat Limited. O contrato com a Vale previa a exportação de 1 milhão de toneladas de pelotas até o fim daquele ano.

Canopus lança campanha de vendas em São Luís e Imperatriz

A campanha vai se estender de janeiro a março, e abrange todos os empreendimentos do Grupo.

Começando o ano de 2018 com o pé direito, o Grupo Canopus lançou uma campanha de vendas denominada Canopus 300. Em Imperatriz, o lançamento foi realizado na manhã desta sexta-feira (12), durante um café da manhã para corretores e donos de imobiliárias. A campanha vai se estender de janeiro a março, e abrange todos os empreendimentos do Grupo.

Em Imperatriz, a Canopus conta com dois empreendimentos, o condomínio de casas, Village Jardins I e o de apartamentos, Village do Bosque II. A meta de vendas da campanha, inspirada no filme Os 300 de Esparta, é vender 300 unidade em 30 dias, em todo o estado. A regional de Imperatriz terá que representar 20% deste número.

Para Igor Bastos, gerente de vendas e expansão da Canopus, não é um número difícil de alcançar. “A grande batalha será realizada durante 90 dias. A meta é realizar 180 vendas, nos três primeiros meses do ano (de janeiro a março), aqui em Imperatriz. Ou seja, são 60 vendas por mês. Na verdade, é bem perto do que a gente já conseguiu, pois, ano passado fizemos 26 unidades por mês. São apenas quatro unidades a mais”, ressaltou.

Como inventivo às vendas, a empresa vai premiar as imobiliárias que mais venderem. Serão premiações para o primeiro, segundo e terceiro lugar, nos valores de R$ 6.000, R$ 4.000 e R$ 3.000, respectivamente. “Essas premiações são um incentivo mais. Estimula os nossos corretores e acaba trazendo resultados satisfatórios pra gente”, ressalta o proprietário da imobiliária campeã de vendas no ano passado, Eduardo Borges.

Premiação

Durante o lançamento da nova campanha, o Grupo Canopus entregou uma premiação para as três primeiras imobiliárias que mais venderam no segundo semestre do ano passado. As vencedoras foram: Premier, com 43 unidades vendidas, que levou o terceiro lugar e um cheque de R$ 1.000. A segunda foi a Remax Unyca, com 75 unidades vendidas, e um cheque de R$ 2.000, e em primeiro lugar, a Borges Imobiliária, que vendeu 78 unidades, e levou uma premiação de R$ 3.000.

fonte: Blog da Angra

Farmácia de manipulação Pharmapele inaugura sua primeira franquia em Balsas e a quarta no Maranhão

Inauguração acontece nessa quarta-feira, a partir das 8h. Rede Pharmapele é especialista em medicamento individualizado e tem como diferencial uma linha de dermocosméticos e nutracêuticos ambos industrializados que complementam o negócio de fórmulas manipuladas.

São Paulo — 15/01/2018 – A rede de farmácias de manipulação Pharmapele inaugura, nessa quarta-feira, dia 17 de janeiro, a partir das 8h, sua primeira franquia em Balsas (MA). Essa é a quarta loja da rede no estado do Maranhão. O coquetel de boas-vindas recebe clientes e imprensa local. A franquia, cuja rede no país já conta com 70 lojas, vai oferecer medicamentos personalizados e cosméticos de tratamento. A Pharmapele é especialista em medicamento individualizado e tem como diferencial uma linha de dermocosméticos e nutracêuticos ambos industrializados que complementam o negócio de fórmulas manipuladas. “Estamos muito felizes com a quarta loja no Maranhão, o que só reforça nossa importante presença na região e todo o sucesso da marca, que já recebeu o prêmio de franquia número 1 no Norte e Nordeste da Fundação Getúlio Vargas e da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. A franquia vai oferecer toda a qualidade e segurança seguidos pelo padrão Pharmapele”, afirma Mariana Saldanha, diretora de marketing da Pharmapele. O endereço é Praça Antonio Pereira, 52 – Centro.

Mercado de franquias – Apesar do cenário econômico, o mercado brasileiro de franquias acumula duas altas seguidas no primeiro e segundo trimestre de 2017, segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising); um dos setores de maior destaque é o de saúde, beleza e bem-estar – que cresceu 17% e registrou o segundo melhor desempenho atrás apenas do ramo de Hotelaria. A busca por uma vida mais saudável e a força do poder de compra da terceira idade (aliada à maior expectativa de vida) são dois dos principais motivos que refletem esse crescimento, como explica Mariana Saldanha: “Esse setor brasileiro, que inclui Saúde, Beleza e Bem-Estar, representa 7,1% do consumo global de produtos para essa finalidade. Dessa forma, o Brasil, apesar dos problemas econômicos, reforça sua importante participação nesse tipo de mercado”, comenta. No mundo, o país ocupa a quarta posição no gasto com produtos para essas finalidades, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Japão, segundo pesquisas da Euromonitor.

Com base nesses dados, as redes de farmácias de manipulação apresentaram grande destaque nos últimos anos, com um verdadeiro “boom” para oferecer saúde e beleza. “Nós continuamos em franca expansão, nos consolidando cada vez mais como uma marca forte e reconhecida no mercado. Isso é a prova da seriedade e segurança que oferecemos aos nossos franqueados”, afirma a diretora de marketing da Pharmapele, que conquistou o 12° selo consecutivo de excelência em franchising da ABF, tornando-se a única farmácia de manipulação do país a conseguir tal feito. Atualmente, as franquias da marca empregam mais de 1000 pessoas em suas lojas espalhadas pelo território nacional.

Receitas para o sucesso – O crescimento da rede também é justificado pela sua solidez: segundo informações da ABF, o índice de mortalidade para negócios próprios nos três primeiros anos de funcionamento é de 50% e somente 5% no caso de franquias. “No caso da Pharmapele, esse percentual de insucesso não ultrapassa 1%”, conta Mariana. Essa é, aliás, uma das grandes vantagens do método de franquia: a transferência de experiência – uma vez que o modelo de negócio e de gestão já foi testado pelo franqueador.

Um dos diferenciais da rede é a adoção de um sistema que dá suporte de gestão financeira e administrativa. “Por se tratar de uma rede, realizamos as compras de matéria-prima de forma coletiva, barganhando melhores preços, o que nos dá maior competitividade no mercado”, explica.

Quanto a dicas de sucesso para o negócio, Mariana dá a receita: “Para se juntar a nós, basta acreditar em nossa filosofia, ter dedicação e consciência de estar num negócio altamente competitivo, rentável e consolidado no mercado. Na Pharmapele trabalhamos com amor e dedicamos esse sentimento a cada fórmula entregue aos nossos clientes”.

História e investimentos – A Pharmapele foi fundada há 30 anos, em Pernambuco – e há mais de 20 anos adotou um premiado sistema de franquias. Além dos selos de excelência da ABF, a Pharmapele foi nomeada uma das cinco melhores franquias do Brasil pela revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios e Fundação Getúlio Vargas, sendo a franquia número 1 do Norte/Nordeste. “Para a empresa se profissionalizar como franqueadora, ela criou o Centro Integrado de Gestão (CIG), empresa do grupo que administra e gerencia as lojas com a marca Pharmapele.” Para que o sucesso financeiro ocorra no menor espaço de tempo possível, a Pharmapele investe em ações, agregando valor ao negócio dos franqueados. “Há o desenvolvimento de campanhas voltadas à saúde e bem-estar da população e apoio à comunidade. As lojas têm visual moderno e elegante, nas quais os consumidores se sentem à vontade e podem experimentar os produtos, antes de escolher o que levar para casa”, conta Mariana.

Fonte: A Pharmapele é uma rede de farmácias de manipulação, com 30 anos de experiência em medicamentos personalizados e cosméticos de tratamento. São 70 lojas presentes em todo o Brasil. A Pharmapele é metade ciência, metade beleza e bem-estar por inteiro. www.pharmapele.com.br

Monopólio da Vale – Agricultores maranhenses são impedidos de usar Ferrovia Carajás/ Norte Sul para transportar seus produtos

Num Brasil continental  as ferrovias deveriam contribuir para baixar os custos de logística de transporte. Isso iria impactar de forma decisiva no preço final dos produtos. Mas a Vale mantem um monopólio exclusivo  para o transporte de minério de ferro, colocando o preço que bem entende no Sistema da Ferrovia Carajás/Norte Sul. Isso além de não ter pontos de embarque, ao longo da ferrovia, o preço do transporte inviabiliza  tentativa dos produtores de usar o serviço.  Com a ampliação da Ferrovia Norte Sul é de esperar que o Governo Federal  quebre forma definitiva esse monopólio absurdo de uma única empresa utilizar uma ferrovia num país continental.

Porto do Itaqui tem recorde histórico na exportação de grãos

O Porto do Itaqui fechou 2017 com movimentação de 19,1 milhões de toneladas de cargas, o que representa crescimento de 13% em relação a 2016 e de 3% em relação ao previsto para o ano.

O Porto do Itaqui fechou 2017 com movimentação de 19,1 milhões de toneladas de cargas, o que representa crescimento de 13% em relação a 2016 e de 3% em relação ao previsto para o ano. Os granéis sólidos responderam por 12,7 milhões de toneladas durante o ano, com recordes históricos na exportação de milho (194%) e soja (60%) e na importação de fertilizante (18%).

Em granéis líquidos, a importação de etanol, também, bateu recorde histórico, com volume 212% maior do que em 2016. As operações com arroz registraram aumento de 109%, a escória de cimento foi 53% maior e as cargas de combustíveis para o mercado interno cresceram 23% no comparativo com o ano anterior.

A projeção do mercado para 2018 é conservadora e depende da expansão dos terminais, em processo de execução. No entanto, os investimentos que o Governo do Maranhão vem realizando por meio da gestão do Porto do Itaqui serão atrativos para alavancar resultados positivos. No setor de combustíveis, a entrada em operação do Berço 108 ainda neste semestre incrementa em 40% a capacidade de operação desse granel líquido.

A Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), que gerencia o Porto do Itaqui, está desenvolvendo Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental de novos terminais, voltados para a movimentação e armazenagem de combustíveis. “O plano é dobrar a capacidade de armazenagem em três anos”, afirma diretor de Planejamento e Desenvolvimento da Emap, Jailson Luz.

A Emap trabalha focada no mercado, para que o Itaqui volte a ter uma linha regular de contêiner e carga geral. Para isso, o porto conta com novo pátio, entregue no final de 2017, equipado para receber, também, carga refrigerada, o que favorece a operação com carne processada.

O volume de movimentação de fertilizante deve crescer neste ano, acompanhando a tendência de crescimento verificada em 2017, quando obteve 22% de aumento em relação ao previsto para o ano. Investimentos em logística fora da poligonal do Itaqui apontam para esse crescimento. E a movimentação de grãos, que atingiu 7,1 milhões de toneladas em 2017, deve crescer 13% em 2018, fechando o ano com cerca de 8,1 milhões de toneladas.