Projeto que mantém incentivos fiscais no Maranhão é aprovado na Câmara

Os estados das regiões Norte, Nordeste, e Centro-Oeste tiveram uma boa notícia na noite desta terça-feira (11). Isso porque a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 656/15, que prorroga a redução de imposto de renda para projetos desenvolvidos nas áreas da Sudam, Sudene e Sudeco.

Aprovada pelos parlamentares, a proposta amplia de 2018 para 2023 o prazo para que os empreendimentos dessas regiões tenham direito à redução de 75% do Imposto de Renda (IR) calculado com base no lucro da exploração.

De acordo com a Sudam, entre 2007 e 2017, mais de 1.200 empregos foram mantidos ou criados por conta de incentivos fiscais no Maranhão. No mesmo período, os investimentos chegaram a R$ 402 mil e 13 empresas foram beneficiadas.

“Os incentivos fiscais são um diferencial competitivo para as indústrias de transformação que decidem investir ou manter seus investimentos na região amazônica. Hoje, nós temos mais de 800 empresas com projetos ativos na região, são mais de 1100 projetos. É um diferencial tributário que não pode ser perdido e que é de fundamental importância para geração e manutenção de empregos na região”.

O projeto original (PLS 656/15) é do Senado Federal, de autoria do senador Eunício Oliveira (MDB-CE). O texto foi enviado para a Câmara em maio deste ano e distribuído para análise nas comissões de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia, Finanças e Tributação e Constituição e Justiça. A matéria agora segue para sanção presidencial.

Coquetel na Intercar para a chegada Eclipse Cross

Os veículos de modelo SUVs vieram mesmo para ficar. Misto de carro esportivo e utilitário 4×4, eles são disparadamente os preferidos na Europa e no Estados Unidos, mercados nos quais já respondem por mais de 77% das vendas. 
Atenta a essa preferência global, a marca Mitsubishi desenvolveu um veículo que une alta tecnologia e design, praticidade e conforto com o melhor do 4×4. Essa é a proposta do SUV Eclipse Cross, a mais nova estrela da Mitsubishi que acaba de chegar à concessionária Intercar Mitsubishi no Calhau. 
Um badalado coquetel de lançamento sob o comando dos empresários Maysa e Manoel Dias marcou o lançamento do Eclipse Cross, modelo que é a perfeita combinação do 4×4 com o high tech. 

Brasil não explora setor pesqueiro como deveria, afirma presidente da Frente Parlamentar da Pesca e Aquicultura

Apesar de possuir um litoral de aproximadamente sete mil quilômetros de extensão, o Brasil não explora as atividades pesqueiras e o setor ainda não é devidamente gerenciado. É o que aponta um estudo do Instituto Oceanográfico (IO) da USP.

Segundo a instituição, metade das frotas pesqueiras analisadas atua praticamente no prejuízo, já que os custos são altos em relação às receitas. A informação tem como base dados econômicos de 17 frotas pesqueiras que localizadas nas regiões Sul e Sudeste do país.

A mesma avaliação é feita pelo presidente da Frente Parlamentar Mista de Pesca e Aquicultura no Congresso Nacional, deputado federal Cleber Verde (PRB-MA). De acordo com o congressista, o Brasil não explora esse setor como deveria.

 

“Nós temos uma faixa litoral que seria estratégica para o país desenvolver essa atividade. O Brasil é um país com um enorme potencial, mas que nunca conseguiu consolidar esse potencial em um resultado específico”, afirma.

“Nós temos um oceano de rios e lagos internos que poderiam ser muito bem explorados. Além de tudo isso tem as águas públicas da União, que ainda não se movimentou como se deveria”, ressalta Cleber Verde.

O deputado também é autor de alguns projetos que tratam exclusivamente da atividade pesqueira. Entre eles está o PL 5695/2016, que pretende indenizar o pescador artesanal prejudicado em sua atividade por construção de hidrelétrica. A medida é acrescentada na Lei 11959/ 2009, que dispõe sobre a política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca.

O PL foi apensado a outro que trata de tema semelhante e aguarda a criação de comissão temporária para discutir o assunto.

O Agro agora no Sebrae – Raimundo Coelho é eleito para o Conselho Deliberativo da instituição

Eleito nesta sexta-feira (23) presidente do Conselho Deliberativo do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae-MA), o empresário Raimundo Coelho, que preside também a Federação da Agricultura do Maranhão (Faema), disse que será natural uma atenção especial aos micro e pequenos empreendedores do setor primário, a partir de 2019, mas frisou que o órgão manterá sua política de atender a todo o segmento das MPEs, seja urbano ou rural. Coelho é o primeiro representante do setor agropecuário a presidir a instituição e para ele isto é um motivo de orgulho a mais para os agropecuaristas, que são os que mais contribuem com o desenvolvimento do estado.

A eleição do Sebrae-MA contou com as inscrições de dois pretendentes à presidência do Condel, pois, além de Raimundo Coelho, foi inscrito Celso Gonçalo, que representa o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) no colegiado, porém este, em nome da unidade do empresariado no órgão, retirou sua candidatura em favor do concorrente e foi eleito seu vice-presidente.

Além do presidente e vice do Conselho Deliberativo, foram eleitos também os novos integrantes da diretoria. O atual superintendente da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), Albertino Leal, vai ocupar o cargo de diretor superintendente; Mauro Bordalho será o diretor técnico; e a diretoria financeira continuará com Rachel Jordão.

Edilson Baldez (C) com o sucessor, Raimundo Coelho, e o vice Celso Gonçalo

O empresário Edilson Baldez, atual presidente do órgão, disse que foi uma eleição tranquila, apesar de alguns burburinhos (numa referência à possível candidatura do secretário estadual de Indústria e Comércio, Simplício Araújo), e mostrou que o empresariado maranhense se mantém unido e disposto a continuar dialogando com o Governo do Estado, que, por diversas vezes, pelas palavras do governador Flávio Dino (PCdoB), tem enfatizado a importância de se manter a separação entre iniciativa privada e poder público, para que assim ambos possam dar sua parcela de contribuição para o crescimento maranhense.

Ações – Raimundo Coelho disse que sob sua presidência, o Sebrae-MA vai manter a mesma política de fortalecimento das micro e pequenas empresas e anunciou que pretende abrir diálogos com gestores públicos, das esferas federal, estadual e municipais para que os empresários de pequeno porte continuem tendo atenção especial, principalmente no que se refere a compras governamentais.

Coelho frisou ainda que encontra um órgão bem estruturado, com um corpo técnico da mais alta qualidade e motivado a continuar primando pela sua política em prol das MPEs. Com observou, será natural que crie algumas inovações nessa política. A capacitação empresarial continuará sendo a prioridade das prioridades.

Sobre o apoio ao setor primário, lembrou que são muitos os segmentos que merecem atenção do Sebrae: criadores, agricultores, extrativistas vegetais, pescadores, agroindustriais etc. A estes, certamente, procurará abrir mais ainda as portas da instituição, sem esquecer dos demais empresários do comércio, da indústria, da prestação de serviços etc, “pois, afinal de contas, o Sebrae é a casa de todos os empresários”.

A posse do novo presidente e dos diretores será no mês de janeiro de 2019.

Fonte – Maranhão Hoje

Com faturamento de R$ 5,4 bilhões, Mateus é o décimo do Brasil no ranking de supermercados

 

Segundo Ranking do Varejo Nacional divulgado nesta quinta-feira (25) pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar), o Mateus Supermercados ocupa o 10º lugar entre as empresas de hiper e supermercados. Já as Óticas Diniz ocupa a nona posição no segmento de lojas especializadas.

De acordo com o ranking, o faturamento do Mateus supera R$ 5,4 bilhões. O primeiro lugar é ocupado pelo Carrefour, cujo faturamento ultrapassa R$ 52,3 bilhões, o que faz a empresa campeã no ranking geral. Já a Diniz aparece com R$ 896 milhões no ranking liderado pela Cacau Show, que tem faturamento superior a R$ 3,1 bilhões.

Na nona posição de lojas especializada, faturamento das Óticas Diniz ultrapassa R$ 896 milhões

O Ibevar é uma instituição sem fins lucrativos, que se propõe a produzir conteúdo no setor de Varejo & Consumo, promover networking entre executivos que atuam nessa área e gerar negócios entre os participantes.

O Ranking do Varejo Nacional é resultado de ampla pesquisa realizada com apoio do Provar-Fia para identificar as empresas mais representativas com base no tamanho, eficiência da operação e imagem de mercado. A íntegra do levantamento pode ser acompanhado aqui.

Hiper e supermercados:

  1. Grupo Carrefour – R$ 52.376.000.000
  2. GPA-Alimentar – R$ 48.440.000.000
  3. Grupo Walmart Brasil – R$ 28.187.051.659
  4. Makro – R$ 8.612.991.905
  5. Cencosud Brasil Comercial – R$ 8.535.696.719
  6. Dia Brasil Sociedade – R$ 6.821.311.429
  7. Irmãos Muffato & e Cia – R$ 6.012.523.152
  8. SDB Comércio de Alimentos – R$ 5.770.156.270
  9. Supermercados BH – R$ 5.474.026.917
  10. Mateus Supermercados – R$ 5.405.867.000
  11. Cia Zaffari Comércio e Indústria – R$ 5.200.000.000
  12. DMA Distribuidora – R$ 3.356.067.550
  13. Sondas Supermercados – R$ 3.262.704.000
  14. Líder Supermercados & Magazine – R$ 2.730.887.111
  15. Savegnago Supermercados – R$ 2.700.417.000
  16. Angeloni – R$ 2.626.396.870

Segmento especializado

  • Cacau Show – R$ 3.169.400.000
  • Kalunga – R$ 2.230.000.000
  • D Paschoal – R$ 2.035.632.000
  • Livraria Saraiva – R$ 1.883.326.000
  • RI Happy /PB Kids – R$ 1.711.844.000
  • Tellerina – R$ 1.510.005.179
  • Polishop – R$ 1.359.670.782
  • Cobasi – R$ 900.000.000
  • Óticas Diniz – R$ 896.328.294
  • Grupo Oxylane – R$ 850.000.000
  • Livraria Cultura – R$ 800.000.000
  • Grupo CRM – R$ 742.500.000

AQUILES EMIR (Com dados do Ibevar)

I Seminário de Turismo da Floresta dos Guarás reúne cerca de 700 participantes

A cidade turística de Cururupu foi escolhida para sediar a primeira edição do Seminário de Turismo da Floresta dos Guarás, promovido pelo Sebrae Maranhão, por meio de sua unidade regional de Pinheiro, em parceria com a prefeitura de Cururupu e com o apoio das outras dez prefeituras que integram a região do Litoral Ocidental Maranhense.

O evento, que ocorreu na última semana, reuniu no auditório do Palácio das Festas, uma plateia formada por cerca de 700 participantes, composta principalmente por atores do turismo local, que tiveram a oportunidade de assistir palestrantes renomados no setor do turismo. Além de empresários, artesãos, gestores públicos e estudantes, representantes de agências de viagem, guias turísticos e receptivos, também participaram do momento inédito na região.

Com início na tarde da última quinta-feira (16) e seguindo até sexta-feira (17), o seminário contou com a presença do secretário adjunto de turismo do estado do Maranhão, Hugo Paiva, do diretor superintendente do Sebrae no Maranhão, João Martins, da gerente regional do Sebrae em Pinheiro, Graça Fernandes, do gerente da unidade de Turismo, Cultura e Eventos do Sebrae Maranhão, Luís Walter Muniz, vice-prefeitos, secretários municipais e dos  prefeitos Osvaldo Gomes, Ismael  Monteiro e da anfitriã do evento Professora Rosinha, das cidades de Guimarães, Central do Maranhão e Cururupu, respectivamente.

“O Sebrae sempre viu no turismo um ponto de partida importante para dinamizar a economia do Litoral Ocidental, vemos nesta região muito potencial para gerar riqueza a partir das belezas naturais e dos fazeres culturais próprios. Riquezas essas que podem ser trabalhadas e melhorar a qualidade de vida dos 180 mil maranhenses, que vivem nos onze municípios que integram o Litoral Ocidental. Por isso o I Seminário de Turismo da Floresta dos Guarás, foi idealizado pela instituição para marcar, oficialmente, a sua contribuição no processo regional de desenvolvimento por meio do turismo”, garantiu Martins.

Caravanas de todas as cidades que integram o Polo Floresta dos Guarás estiveram presentes. Foram representados os municípios de Central do Maranhão, Cedral, Guimarães, Alcântara, Bequimão, Porto Rico do Maranhão, Mirinzal, Serrano, Bacuri e Apicum Açu, além das ilhas e zona rural de Cururupu, que trouxeram para exposição a produção artesanal de artistas locais, como maneira de valorizar e apoiar o potencial artístico que o Litoral Ocidental oferece, não apenas para o turismo da região, mas de todo o estado.

Secretário da Sagrima participa I Seminário Estadual da Cachaça

Na última quinta-feira (26), o secretário da Sagrima, Edjahilson Souza participou da solenidade de abertura do I Seminário Estadual da Cachaça Maranhense de Alambique no município de Pastos Bons.

O evento contou com a presença de produtores, comerciantes, técnicos, fiscais e demais atores do setor.

O secretário da Sagrima, Edjahilson Souza durante solenidade destacou a importância que o Estado tem dado a essa cadeia produtiva, com o objetivo de incentiva-la a crescer e poder se tornar uma das cadeias produtivas atendidas pelo SEPAB.

“O Governo do Estado por meio da Sagrima vem incentivando o desenvolvimento da cadeia produtiva da cachaça, que anualmente tem uma produção de 5 milhões de litros, sendo que metade da produção é oriunda da Região do Sertão, parte dessa produção está localizada no município de Pastos Bons”, ressaltou Edjahilson.

Edjahilson Souza e o presidente do SindBebidas Jorge Fortes conversaram sobre, parcerias e buscas de apoio, no sentido de incentivar a alavancar a produção da cachaça e consequentemente a geração de empregos e renda. O evento também visa unir produtores, empresas e instituições que estejam alinhadas com as ações relacionadas à qualidade, segurança e certificação da cachaça artesanal de alambique.

Participação – Durante o I Seminário Estadual da Cachaça Maranhense de Alambique, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), teve participação durante a palestra “O retrato da produção da cachaça de alambique no sertão maranhense”, com o Superintendente de Politicas Agrícolas, Fernando Trinta.

Destacou o diagnostico financiado pela Sagrima e executado pelo Inagro, mostrando a realidade da produção da cachaça de alambique no sertão maranhense. E as ações futuras que devem ser tomadas pela Sagrima para o desenvolvimento da produção da cachaça na região.

Ciro Gomes promete concluir as refinarias lançadas pela Petrobras no Maranhão e Ceará. “Colocarei em funcionamento no intervalo de 4 anos”, declarou!

 

Em entrevista concedida nesta segunda-feira (16) à noite em São Luís, antes do encontro com a classe empresarial, no Grand São Luís Hotel, o pré-candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, disse que, se eleito, retomará os projetos das refinarias de petróleo Premium I, em Bacabeira, no Maranhão, e Premium II, em Fortaleza, no Ceará. Os empreendimentos foram lançados em 2010 pelo então presidente Lula e suspensos em 2015, após a reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

De acordo com Ciro, não houve fracasso nesses projetos, mas um “chêcho” do governo contra os cearenses e maranhenses, ou seja, uma trapaça. Para ele, não faz sentido o alto investimento feito nessas refinarias (mais de R$ 2,7 bilhões), as expectativas criadas para empresários e trabalhadores e simplesmente, cinco anos depois, a Petrobras dizer que não iria mais fazer as obras.

O pior, como interpreta, é que foi um calote internacional porque quando a estatal vendeu ações na Bolsa, no Brasil e no exterior, ela tinha em seu portfólio de investimentos futuros as duas refinarias, ou seja, muita gente investiu em seus papéis, acreditando que iria fazer bom negócio tornando-se sócio da empresa.

Por achar que ambas as refinarias são viáveis, até porque, como interpreta, não faz sentido o Brasil continuar mandando petróleo para refino fora do país e importar gasolina, óleo diesel, nafta e outros derivados, diz que a retomada das obras será uma das primeiras medidas que vai tomar. “Colocarei em funcionamento no intervalo de quatro anos”, assegurou. Para ele, se Premium I e Premium II estivessem em operação provavelmente o Brasil não estaria enfrentando o problema de alto preço de combustíveis.

O presidenciável pedetista informou ainda que é defensor das zonas de exportação, e um dos maiores exemplos de sua defesa é a existente no Ceará, portanto deve estimular o seu surgimento em vários estados. No Maranhão, o projeto de uma zona de exportação é do senador Roberto Rocha, pré-candidato a governador pelo PSDB.

Crise – Na palestra aos empresários, Ciro Gomes disse que o Brasil vai precisar de um presidente que tenha autoridade e queira colocar as coisas para funcionar. Ele acha possível o país deixar de importar vários itens essenciais, como, por exemplo, equipamentos hospitalares, se houver um projeto para que parte desses itens seja fabricado no Brasil.

O pedetista disse ainda que é preciso controlar os juros, para que fiquem abaixo da rentabilidade das empresas, a fim de que tomada de dinheiro no sistema financeiro promova o desenvolvimento do país, mas não acha que isto seja possível com o sistema bancário concentrado em apenas cinco empresas desse setor.

O pré-candidato prometeu ainda estimular o transporte marítimo de cabotagem e investimentos em ferrovias para baixar os preços dos fretes. A Transnordestina e a Norte-Sul, como apontou, são exemplos de que poderiam estar fazendo o escoamento da produção em maior escala a menos custo, porém como nunca foram concluídas, não atendem ao país.

Ciro Gomes também defendeu a reforma da Previdência, com diminuição dos ganhos dos servidores públicos a fim de que haja divisão maior para todos os aposentados e quem quiser uma renda maior que pague a previdência privada.

AQUILES EMIR

 

Encerrada primeira etapa do “Líder Litoral Ocidental”

Cururupu – O que vi aqui, ainda não havia presenciado em nenhuma outra turma do Lider na qual participei. Estou muito impressionado, porque não vemos apenas teoria, mas sim prática. Por isso, saio do Maranhão com as melhores impressões possíveis desse grupo”.  A declaração é do representante do Sebrae Nacional e membro da coordenação do Programa Liderança para o Desenvolvimento Regional (Lider), André Ligório, ao descrever suas impressões do oitavo encontro do Lider Litoral Ocidental, que ocorreu na última semana, na cidade turística de Cururupu, marcando o encerramento da primeira etapa da capacitação, após nove meses de atividades.

O resultado do empenho de todos os participantes foi exposto em um grande evento no auditório da Casa das Festas, em Cururupu, com a presença de diversas autoridades como a prefeita-anfitriã, Professora Rosinha e os prefeitos Ismael Monteiro (Central do Maranhão), Anderson Wilker (Alcântara), Osvaldo Gomes (Guimarães), que participaram ativamente do programa, assim como o diretor superintendente do Sebrae no Maranhão, João Martins.

O Lider Litoral Ocidental é executado pelo Sebrae, por meio de sua Unidade de Políticas públicas e Desenvolvimento Territorial, com o apoio irrestrito da regional em Pinheiro, gerenciada por Graça Fernandes.

“As metas e objetivos que propusemos no início deste programa foram superadas em absolutamente todos os aspectos, tendo como um dos maiores trunfos a participação extremamente positiva dos representantes dos 11 municípios aqui do Litoral Ocidental Maranhense. Acreditamos que, a partir deste momento, teremos horizontes diferentes para este território, trazendo para a região o que ela merece: o desenvolvimento sustentável por meio do empreendedorismo que transforma”, enfatizou Martins.

Grupo de trabalho

O grupo que compõe o Lider Litoral Ocidental Maranhense é composto por 38 lideranças regionais, dentre representantes do poder público, da sociedade civil organizada e da classe empresarial dos municípios de Alcântara, Apicum Açu, Bacuri, Bequimão, Cedral, Central do Maranhão, Cururupu, Guimarães, Mirinzal, Porto Rico e Serrano do Maranhão.

Nós só temos a agradecer ao Sebrae Maranhão pela iniciativa de promover o Lider na região do Litoral Ocidental Maranhense. Temos certeza que, em um curto espaço de tempo, já começaremos a perceber as mudanças na região graças ao empenho deste grupo de lideranças”, afirmou a prefeita de Cururupu, Professora Rosinha.

Na oportunidade, foram apresentadas as diretrizes do Plano Estratégico de Desenvolvimento Regional Sustentável do Litoral Ocidental nas áreas do Agronegócio, Turismo, Educação e Infraestrutura elaborado pelas lideranças da região que participaram desta primeira turma do Lider.

 

Segunda fase do programa

Os participantes do Lider se reunirão novamente no dia 16 de agosto para dar continuidade ao programa. Nesta segunda etapa, serão contemplados seminários e um fórum de discussões entre as lideranças e a população do território com o propósito de serem implementadas e efetivadas as ações do plano estratégico que fortalecerá a identidade territorial para a promoção do desenvolvimento regional sustentável dos municípios. A ideia é tornar a região mais atrativa pela sua diversidade e riquezas naturais de maneira sustentável até 2023.

“Foi um desafio reunir todas essas lideranças e mantê-las motivadas e confiantes ao longo de todos esses meses, mas foi muito gratificante poder ver o resultado de todo esse trabalho! Não temos dúvida de que o Plano Estratégico de Desenvolvimento Regional Sustentável do Litoral Ocidental, construído ao longo desses meses, só trará benefícios para o território”, sinaliza a gerente da regional do Sebrae em Pinheiro, Graça Fernandes.

 

Lençóis-Munim

A próxima turma do Lider que será executada na região Lençóis-Munim, contemplando oito municípios do território que tem como principal vetor de desenvolvimento o turismo. O primeiro encontro com a liderança está previsto para acontecer entre os meses de outubro e novembro.

“Fomenta Maranhão 2018” – Sebrae encerra evento com saldo de 3.200 participações

Superando as expectativas de público ao Fomenta Maranhão 2018, o Sebrae encerrou o evento na terça-feira, 12, com o sentimento de dever cumprido e saldo de 3.200 participações de público nas palestras e painéis dos dois dias da programação. Promovido com a parceria de 21 instituições e órgãos públicos, além da iniciativa privada, o evento discutiu as compras governamentais e a possibilidade dos pequenos negócios aproveitarem esse nicho de mercado para aumentar seu faturamento.

No segundo dia, palestras e painéis referentes ao tema mais específico das licitações públicas, riscos e benefícios que podem ter os empresários ao contratar com os governos – seja União, Estados ou Municípios, regulamentação tributária, programas de compras e de desenvolvimento de fornecedores existentes no Maranhão, dentre outros, atraíram os participantes para as salas e auditório Terezinha Jansen. A programação também contou com um concorrido Seminário de Acesso ao Crédito que levou instituições financeiras a estarem mais próximas dos empresários e explicar suas linhas de financiamento.

“Participar do Fomenta foi algo impactante e elucidativo para nós que somos pequenos. Saber que podemos concorrer nas licitações e que isso não é um bicho de sete cabeças, é muito bom, nos abre mais uma porta de mercado para a empresa ter lucro. No entanto, vimos que precisamos tomar alguns cuidados, saber analisar e estudar um edital para que não sejamos pegos desprevenidos e possamos honrar os compromissos do contrato, caso contrário podemos sofrer punições. Por isso, todas as informações que recebemos aqui foram extremamente válidas”, destacou a empresária Sílvia Passos que participou do evento na caravana de empresários da Vila Luizão, Sol e Mar e Divinéia, bairros da periferia de São Luís, com alta concentração de atividade comercial.

“Outro ponto favorável na programação foram os painéis que trataram de empreendedorismo e desenvolvimento local, com pessoas altamente gabaritadas, como o colombiano Jorge Melguizo que nos deu uma aula do que pode ser feito quando se tem vontade política e união da comunidade em favor de um objetivo comum, de algo que será bom para toda uma coletividade. O exemplo do que aconteceu lá em Medellín pode muito bem inspirar os governantes brasileiros e mostrar que as coisas podem ser possíveis sim, basta todos quererem”, sentenciou a empresária.

 

Caravanas

Para quem mora no interior do estado, a participação no Fomenta Maranhão 2018 também foi significativa. O Sebrae, por meio de suas onze regionais e quatro Núcleos de Atendimento Empresarial (NAEs), organizou caravanas de mais de 80 municípios que totalizaram 495 pessoas dentre empresários de pequenos negócios, microempreendedores individuais, produtores rurais de pequeno porte, gestores e representantes do poder público municipal e Agentes de Desenvolvimento Local (ADLs).

Foi uma experiência única participar do Fomenta. Levo daqui amizades, compromisso e o prazer de participar de mais um evento do Sebrae que abriu meus horizontes para o que quero do meu futuro como empresária. Para quem perdeu, só temos a lamentar; porém quem participou, foram dois dias de muito aprendizado que iremos levar para o dia a dia dos nossos negócios”, sinalizou a empresária Juciele Andrade, do município de Guimarães.

“Nós gostaríamos de agradecer imensamente a todos aqueles que atenderam o nosso convite e confiaram no projeto Fomenta Maranhão 2018, a participação de todos que integraram a caravana Baixada e Litoral Ocidental foi fundamental para o sucesso do evento. O nosso muito obrigado a todos em nome da unidade regional do Sebrae em Pinheiro” agradeceu Graça Fernandes, gerente regional do Sebrae em Pinheiro.


Avaliação

O diretor superintendente do Sebrae no Maranhão, João Martins, destacou a satisfação e o orgulho da instituição pela realização do Fomenta Maranhão 2018. “Encerramos este evento com um grande orgulho de termos contribuído com todos os que estiveram aqui nesses dois dias de difusão do conhecimento, de aprendizado e compartilhamento de informações. Ensinamos e ao mesmo tempo aprendemos e nessa sinergia cumprimos o nosso objetivo com o Fomenta que foi o de mostrar aos pequenos negócios maranhenses que é possível serem contratados da administração pública”, destacou ele.

“O Sebrae agradece aos parceiros que estiveram conosco e que só abrilhantaram o evento, juntamente com o público que nos prestigiou. O sucesso que esperamos do Fomenta Maranhão 2018 é a repercussão, a multiplicação do conhecimento em todos os municípios do nosso estado que estiveram participando do evento, por meio de empresários ou agentes públicos, que tornará possível um Maranhão com ambiente cada vez mais favorável para o desenvolvimento local e propício para que o sonho de ser dono do seu próprio negócio tenha eco, apoio do poder público e sustentabilidade de mercado. E contem sempre com o Sebrae para tornar esse sonho possível e transformador das realidades locais”, finalizou João Martins.