CAMARA SLZ

ESG em foco: Cimento Bravo investe em produção sustentável e iniciativas ambientais…

Indústria genuinamente maranhense, ao longo de quase uma década, a Cimar/Cimento Bravo vem aprimorando não somente a qualidade do cimento que produz, mas também as práticas de responsabilidade social, de cuidados com o meio-ambiente e de governança empresarial, com iniciativas bem-sucedidas em todas as frentes do chamado ESG.

No mês dedicado às pautas ambientais, em razão do Dia Mundial do Meio Ambiente (05 de junho), além das campanhas internas, a empresa intensifica o desenvolvimento de pesquisas e estudos que reforçam os valores e as práticas ambientais da companhia.

Ciclo positivo: o reuso de cinzas

Uma das iniciativas mais importantes da Cimento Bravo hoje para atenuar o impacto da atividade industrial é fruto de uma parceria que surgiu em 2018, com empresas que atuam com a queima de carvão, como a Eneva e a Alumar, por exemplo, ambas situadas nas proximidades da sede da Bravo, no Distrito Industrial de São Luís.

De um lado, a Cimento Bravo precisava adquirir as cinzas, insumo que representa até 20% da composição do cimento fabricado na indústria. Do outro, essas empresas precisavam destinar esse rejeito da queima do carvão como resíduo a aterros sanitários e, agora, encaminham à Cimar.

Ao longo desses 6 anos, tempo em que a indústria opera com o reaproveitamento de cinzas, já foram contabilizadas 500 mil toneladas de cinzas reprocessadas e transformadas em cimento.

“Dessa maneira, o que alimentamos é uma relação muito benéfica para todos os atores envolvidos e, claro, para o meio ambiente. Ganham as empresas parceiras, que, agora, em vez de administrarem uma operação logística muito mais complexa e dispendiosa, destinam esse resíduo para a Bravo; ganha a nossa fábrica, porque recebe de fontes qualificadas um insumo de excelente qualidade fabril; ganha a sociedade, que recebe um cimento de qualidade superior e com preço competitivo; e, mais importante de tudo, ganha o meio ambiente, já que essas cinzas deixam de ir para um aterro sanitário”, enfatiza Romulo Avellar, CEO da Cimento Bravo.

Produção consciente e sustentável

Por ser uma empresa genuína e orgulhosamente maranhense, a Bravo prioriza a contratação de serviços e a compra de insumos e produtos regionais. Para produzir o cimento, que é considerado o de melhor qualidade da região, a indústria utiliza os seguintes componentes:

  • Cinzas (tipo “A” e “B”): vêm de indústrias locais que atuam com a queima de carvão, vão para o laboratório de qualidade e são liberadas para uso como insumo;
  • Gesso: vem das cidades de Codó (região dos Cocais) e Grajaú;
  • Pozolana: vem de minerações no entorno da fábrica, no Distrito Industrial;
  • Argila: vem da cidade de Itapecuru;
  • E clínquer: hoje, é o único insumo importado, e vem de países como Turquia, Argélia, Grécia e Egito.

“A produção do cimento na Bravo é totalmente livre de água. Além disso, na etapa de secagem dos insumos, antes de entrarem na moagem, em vez do carvão, o nosso Gerador de Gás Quente utiliza como insumo diversos tipos de biomassa, como cavaco de bambu e eucalipto, que vêm de fazendas distantes até 400 km da nossa capital”, revela o Diretor Industrial da Cimento Bravo, Rodrigo Rique.

Qualidade certificada

A Cimento Bravo produz dois tipos de cimento: o CPIV-32, para uso geral, e o CPIV-40, para obras mais técnicas e com maior resistência a água e salitre, por exemplo. Por mês, a média de fabricação é de 40 mil toneladas de cimento, que hoje abastecem os mercados do Maranhão, Piauí, Pará e Amazonas. Para cumprir a demanda e permanecer avançando, a Cimento Bravo opera 24 horas por dia.

Em busca perene por qualidade, a empresa também mantém frequentes vistorias no processo produtivo, a fim de preservar as certificações da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e da ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland).

Além disso, recentemente, a Cimento Bravo conquistou duas outras importantes certificações: a do “Eu Reciclo”, graças aos investimentos fixos em ações e cooperativas de reciclagem; e a GPTW (Grate Place To Work), em razão dos constantes investimentos e melhorias na cultura e no clima organizacional da empresa, que tem como o trabalho, a integridade e a qualidade como principais valores.

História da Cimento Bravo

Com quase 10 anos de existência, a Cimento Bravo é fruto da união de dois grandes nomes da indústria brasileira: Grupo Cornélio Brennand, com 100 anos de história, que atua nos setores de geração de energia renovável, vidros planos e desenvolvimento imobiliário; e o Grupo Queiroz Galvão, que já ultrapassa 60 anos de atividade e é um dos mais importantes grupos empresariais brasileiros, destacando-se pela solidez, tradição e qualidade de obras, produtos e serviços oferecidos ao desenvolvimento da infraestrutura brasileira.

Desse encontro, nasceu a Cimento Bravo, empresa genuinamente maranhense que se tornou uma referência de destaque na indústria cimenteira brasileira. Em 2014, foi construída, em São Luís do Maranhão, a unidade de moagem de cimento Cimar – Cimentos do Maranhão S.A., com capacidade produtiva de 500 mil toneladas por ano.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x